Arquivo | Uncategorized RSS feed for this archive

2 Anos, 2 Meses e 2 Dias!


Hoje fazemos 2 anos, 2 meses e 2 dias de existência!
Como é que eu deixei passar a comemoração de 2 anos de existência do Barriguinhas 🙂 E pronto, comemoramos hoje!!!!!!! Parabéns para o meu Barriguinhas ❤

Anúncios

Em Banho Maria…


“Banho maria é um método utilizado tanto em cozinha como em laboratórios, para aquecer lenta e uniformemente qualquer substancia liquida ou solida, submergindo noutro, onde existe agua a ferver ou quase”… Assim iremos ficar nós por uns tempos… EM BANHO MARIA! Até breve. Continuem a visitar-nos e a partilhar as nossas receitas de sempre…

Os números de 2011


Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2011 deste blog.

Aqui está um excerto:

Um comboio do metropolitano de Nova Iorque transporta 1.200 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 4.500 vezes em 2011. Se fosse um comboio, eram precisas 4 viagens para que toda gente o visitasse.

Clique aqui para ver o relatório completo

Múltipla Personalidade




Eu…

Sou quente como o sol intenso que queima
Sou constante e forte como a chuva de Inverno que cai sem parar
Sou forte como o vento que tudo move de lugar

Sou fria como o gelo que desce as montanhas mais altas
Sou imprevisível como um furação que aparece sem avisar
Sou fraca como um rio seco, à espera de água para renascer

Sou triste como uma lágrima
Sou alegre como as flores quando dançam na pradaria ao sabor do vento

Eu… afinal sou igual a tantos de vós!
Lucia Fernandes

Reencontro


Despertou em mim aquela parte que ficou adormecida
Como que acordada de um estado de coma, em choque e incrédula.
Qualquer movimento provoca dor em cada recanto do meu corpo,
As minhas memórias passam como película de um filme, tentando eu reter o melhor do passado…
Num abraço longo,
Foi como se o tempo não tivesse existido entre nós!

Lúcia Fernandes

Dispersa


Vazia de palavras….
Cheia de sentimentos vagos,
Dispersos… que parecem não fazer qualquer sentido com o passar da horas… dias… meses…. anos…
Tento alcançar para além do tempo que me escapa
Ter a certeza que o vou atravessar
Qual pilar alicerçado,
Em fundações tão profundas que a própria vista não alcança
Num rodopio que me leva para todos os lugares ao mesmo tempo
E quando paro, não estou em lugar nenhum….
Só um vazio
Um vazio que me enche e transborda
Como se eu quisesse saltar do Inverno para a Primavera num segundo…
Mas não é um segundo…
São horas…
São dias…
São Meses…
São anos…

O Barruiguinhas


O Barruiguinhas

Na cozinha faz-se magia * Tudo ganha textura, cor e sabor..então.. Deixa o Teu melhor sorriso…e leva o nosso… Torna-te Fã * Sugere esta página e traz os teus amigos :))

Objectivo


Gotas de chuva mergulham no rio
Provocando suaves vibrações
Que formam círculos em seu redor
Círculos que se tocam e abraçam por instantes.

É um mergulho longo
Sabem que não voltarão à superfície

As gotas e o rio fundiram-se num só
Formaram um só corpo
Agora o rio é mais extenso à medida que se deixa romper
Pelas gotas,
Que caem sem cessar

Como se o rio sofresse de uma sede insaciável… interminável…

Tantas gotas repousaram no seu leito
E mesmo a transbordar, continuava sedento
Estendeu os seus braços, desbravando tudo ao passar

Até que encontra o seu lugar…

Finalmente…
Chegou ao mar.

Lúcia Fernandes

Não importa onde…


Não me importa para onde vou
Importa-me, sim, onde estou
Pois é este o momento
Que reflecte os lugares por onde passei
E para onde irei

Importa-me com quem estou
O lugar é efémero
Só a vivência dos momentos tem significado
E nas pequenas coisas podemos agarrar a simplicidade e a beleza da vida

Sermos nós próprios… sem teatros, nem máscaras…
Sem pesos, nem medidas
Sem pressa…

Esses momentos saram-nos as feridas
Com as quais fomos marcados pelos lugares passados
E outros tantos onde pernoitámos…

Aqui, ali, além…
Que importa?!
Desde que esteja com quem  me quer bem.

Lúcia Fernandes

No Banco do Jardim


Sentada num banco de jardim
Onde todos passam por mim
A minha imaginação não tem fim…

Voo alto como as gaivotas
Atenta a cada movimento
Escuto o piar dos pássaros
Lá no firmamento

E imagino-me voar
Por este céu sem fim
Aproveitando todos os momentos
Que neste instante
Me pertencem… só a mim

Momentos de solidão
Envolta nesta multidão de sons e odores
Que tento absorver a cada golfada de ar que inspiro

O cheiro a relva fresca
Recentemente encharcada pelas últimas chuvas de Inverno
É para mim o pronúncio de melhores dias
Onde o Sol reinará
E a luz será abundante… rasgando os céus, para afastar as nuvens
Que teimam em tapar a luz

Sentada num banco de jardim
Sonho…
Porque os sonhos são o impulso da Vida.

Lúcia Fernandes

Panquecas Americanas ~ O Barriguinhas


Medalhões de Pescada gratinados com Legumes ~ O Barriguinhas


O Silêncio da Dor


Onde está o homem que um eu amei?!
Aquele por quem me apaixonei…
Onde ficaram as promessas eternas de amor?!
O tempo em que não exisitia dor…

Já não estão aqui…
Desvaneceram por entre o silnêncio que me domina
E hoje… já nada em ti me fascima
Sinto raiva… ódio e horror
Por fazeres da minha vida um terror

Julgaste mais forte do que eu
Mas na verdade não o és…
Mesmo quando me humilhas a teus pés

A minha alma é grande
Vai libertar-se para sempre…
Encontrei o caminho do sossego
Onde nada nem ninguém me pode fazer mal

Descobri que para além daqui
Há um mundo que também… espera por ti!

LF

Percurso


A vida passa em correria
Como uma folha solta que é levada pelo vento e que dança ao seu sabor
Ora cai no chão, ora sobe às alturas
Levada pela fúria e deixada para trás quando o vento descansa
Não há nada que a leve… alí fica…
Prostrada… sujeita às intempéres e à indiferença de quem passa
Até que chegue a força que a deixou
Para que parta para lugares longínquos
Voa… cai… levanta-se
E eis que chega o dia em que não vai levantar-se
Ergue o olhar…
Vê passar folhas soltas, prontas a ser levadas ao sabor do vento
Correm para viver
LF

Obrigada Amiga


Tu que me vês para além do olhar
Tu que conheces o mais profundo em mim
Que me aceitas para além dos meus defeitos
Tu que estás presente mesmo na ausência
Não são precisas palavras para que Tu… Amiga
Saibas o que penso ou sinto
Pressentes-me na voz a dor ou a alegria
És em todas as horas a minha fiel companhia
Não julgas… compreendes
Não apontas o dedo.. mostras-me o caminho
Eu… só posso dizer que hoje sou mais feliz
Porque os nossos caminhos um dia de cruzaram
E criámos o trilho perfeito
E os nossos alicerces são fortes e profundos
E….
Seguir-te-ía Amiga
Até ao fim do mundo..
Obrigada Amiga

O Tempo


Às vezes o Tempo
É perda de Tempo
Não ter Tempo a perder
Perder Tempo sem viver
O Tempo marcado pelo Tempo
Temos Tempo!
Dizem…
Com o Tempo tudo passa
O Tempo tudo cura
Mas não há dor que o Tempo leve para sempre
O Tempo adormece
Mas não morre
Dar Tempo ao Tempo
Afinal… até o Tempo precisa de Tempo para sarar as suas feridas!

Não é Tempo para palavras fingidas
Porque o Tempo não tem Tempo a perder
E cada dia que passa temos menos Tempo

LF

Ausência


Que frio está o leite onde nos amámos tantas vezes
Já não estás…
Procuro o mais pequeno detalhe que me traga uma lembraça do tempo em que podia sentir o calor do teu corpo
Em todos os recantos… sinto a tua presença
Quero prolongar a noite… e que não venha o dia
Para poder viver as nossas memórias
Só nossas…
Levaram-te, arrancaram-te de mim
Qual furacão que engole, sem dó nem piedade, tudo à sua passagem
Sou assaltado por um turbilhão de sentimentos
Anseio sentir que ainda estás aqui e que nunca partiste…

Há chuva no meu rosto
Chovem sem cessar.. gotas de saudade
Um caminho longo se avizinha
Sem ti…

LF

A procura


Caminhos tortuosos
Sombras desfocadas
Vontades desmedidas
Vidas paradas…

Um querer que a razão desconhece
Embrulhado em rasgos de névoa
Que ensombram quando amanhece

A procura incessante do trilho escondido
Onde a alma guardou o ser mais profundo
Sentimentos rasgados… perdidos

O medo mais profundo pressiste
Caminho pela sombra… mas com vida!

LF

Baú de Memórias


Olho a linha no horizonte… perdida
Sinto a maresia invadir-me a corrente sanguínea
Esquecida do que me rodeia
Com o pensamento esvoaçante através das memórias…

Abro o baú há muito fechado com o cadeado do esquecimento
Solto um suspiro que mais soa a lamento

Nele encontro tudo aquilo que pensava encerrado para sempre
Rodeiam-me lembranças, em rodopio…
Fico sem Norte

Tantos momentos vividos
Que ficaram envoltos no pó que os conserva

Amores e desamores
Alegrias e tristezas
Encontros e desencontros
Vida e Morte

Olho a Sul…
E acredito que estou aqui, porque tudo isto vivi!

LF

O Beijo


No roubo de um beijo
Suguei a alma do desejo
A carne molhada e sôfrega
Como quando as ondas batem no cais
E o som que se ouve soa a “mais”

O motor que nos move bate forte
Quase que a saltar deste barco à deriva
Cambaleando ao sabor da ondulação perfeita, que embala o momento

Em êxtase, relâmpagos rompem o mar revolto
Abrem o céu
Chegou a bonança
E com ela… a vontade de outro beijo

LF

%d bloggers like this: